Respeito é bom e eu gosto

Ontem me perguntaram o que eu mais gosto daqui da Suíça. Não consegui responder só uma coisa mas depois, fiquei pensando e acabei categorizando minhas respostas (meu lado engenheira ainda não desapareceu completamente) até chegar em uma única resposta.

Eu adoro o RESPEITO que existe em tudo por aqui.

A Suíça, na primavera e no verão, fica toda colorida, cheia de flores. Uma coisa linda. Não só as prefeituras cuidam dos canteiros, como as pessoas colorem suas janelas e seus jardins com flores, muitas flores. Um hábito caro, e que dá trabalho. Mas ninguém, ninguém mesmo, é capaz de arrancar uma única flor de um jardim público. Muito menos pisar nos canteiros. Isso é respeito com os próximos.

As pessoas respeitam a sua privacidade. Lembro que apareceu no jornal daqui uma foto do presidente do conselho federal –o presidente daqui – pegando o trem para ir trabalhar. E ele estava lá na plataforma, falando no seu celular, sem guarda-costas, como qualquer um que estava por lá, sem ser assediando por pessoas ao seu redor. Por isso que tantos artistas e famosos elegem a Suíça como destino, imagino eu. Respeito pela privacidade!

A pontualidade é também uma forma de respeitar aos outros. Eles odeiam ser esperados e odeiam esperar. Se alguém saiu de casa pontualmente, já calculando o tempo do percurso e se organizando para atender a um horário determinado, espera que os outros assim o façam também. Acho justo. Esse hábito eu acabei adotando mesmo porque nós brasileiros temos fama de sermos atrasados então, para fugir do estereótipo, presto duas vezes mais atenção ao relógio. Virei a brasileira mais pontual da Suíça.

Um país pequeno, 8 milhões de habitantes, quatro línguas oficiais, ¼ da população estrangeira. Se o Suíço não respeitar seu país, suas tradições, sua bandeira, seus produtos, seus vinhos... Quem respeitará? E ele faz isso como ninguém. É normal vê-los comprar tomates suíço, a um preço duas vezes maior que o mesmo tomate vindo da Espanha. Questionei uma vez esta atitude e ouvi: “prefiro gastar um pouco mais nos tomates suíços, estimulando a agricultura suíça, ao invés de pagar mais impostos para cobrir o seguro desemprego”. Oi? Isso sim é consciência e respeito a cidadania!