Vivências e Aprendisagens Suíças

Amigos – São difíceis de conquistar por aqui. Mas quando se conquista, se tem de corpo e alma. E para sempre!

Amigos distantes – São amigos sempre. Não importa o tempo e nem a distância. Estão sempre por perto, mas longe!

Brasil – É admirado e conhecido por aqui. Desperta curiosidades. Anda porém bem desgastado. Os escândalos e corrupção estão acabando com nosso allure.

Cidadania – Os suíços são mestres. Apendem desde criança e vivenciam naturalmente, sem esforços. É um investimento feito hoje com efeito nas futuras gerações.

Democracia – Tudo aqui é votado, discutido, acordado. Não conheço nenhum país tão democrático como a Suíça. E eles discutem política sem levantar a voz, ouvindo os argumentos do outro. Uma loucura impensável no Brasil!

Envelhecer – Somos os grandes responsáveis pela maneira com que envelhecemos. Infelizmente ainda não se pode comprar uma velhice saudável.

Francês – É uma língua linda, mas muito muito muito burocrática.

Generosidade – É bom praticar e é também uma boa prática saber receber.

Hierarquia – Afasta pessoas. Afasta oportunidades. Aqui quase não existe hierarquias. Existe sim um respeito por qualquer profissional exercendo bem suas funções. Muito civilizado!

Independência – É muito doído perder.

Jeitinho – Aqui não funciona. Existe negociação e argumentação mas jeitinho por jeitinho, aqui não cola! Saí fora!

Limpeza – É contagiante. Quanto mais limpo, mais se respeita e mais se mantem limpo! É a história do ovo e da galinha.

Mudança – Este país é uma reviravolta. De 2006 para cá muita coisa mudou por aqui: abertura de fronteiras para livre circulação, geleiras derretendo, moeda super valorizada, custos crescentes, recessão, crise, desemprego. O que me fascina é a rapidez na constatação da mudança e nas tomadas de decisões para corrigi-las, quando e se necessário. E claro, o respeito as opiniões conflitantes.

Nostalgia – Existe um respeito grande pela história, costumes e tradições passadas. De uma maneira que chega até a ser ingênua, o suíço celebra em suas festas o seu passado, vestindo roupas típicas, brincando e cantando, como se fossem ainda crianças.

Orgulho – Orgulho do país, orgulho da bandeira, orgulho das tradições. O Suíço transborda orgulho. Mas o maior orgulho que vi por aqui é o orgulho que todo suíço tem de ter um Roger Federer representando seu país.

Pedreiros – A gente até sente falta das cantadas baratas dos pedreiros quando não se tem mais.

Queijos – São companhias imbatíveis em um dia frio e nublado de inverno!

Respeito – É característica marcante no Suíço e presente em tudo que ele faz. Eles são respeitadores, o que não os impede de serem divertidos e saberem se divertir.

Rico – Aqui quanto mais rico, mais simples e mais discreto se é. Para se aprender...

Saudades – Sempre se tem quando se mora fora. Se aprende a viver com.

Segurança – É muito bom poder andar para cima e para baixo sem me preocupar com assalto e violência. Esconder jóias e relógios já era.

Fiquei tão zen que se alguém passa correndo perto de mim, abro passagem. Está provavelmente tentando alcançar o trem!

Outro dia ouvi tiros. Assustada perguntei o que era aquilo e Meu Suíço calmamente me disse que provavelmente eram tiros para afastar os pássaros da plantação.

Silêncio – É uma prática por aqui. Não se fala por falar. Pensam, antes de opinar. O barulho é considerado desrespeito, uma invasão ao espaço alheio. Fala-se baixo, fala-se pensado, fala-se relevante.

Como é que é o ditado? Em boca fechada não entra mosquito...

Simples – Viver uma vida simples, ser dona da agenda, é muito melhor e mais divertido que viver uma vida sofisticada, sendo escrava da própria agenda.

Tecnologia – Aproxima e distancia as pessoas.

Trem – Não existe transporte mais gostoso. Tranquílo, silencioso, não balança, é espaçoso, limpo e extremamente pontual. Os daqui, claro!

Viagem – Morar em um país que não é o seu é viajar diariamente. Morar na Suíça é ainda mais: é estar no coração da Europa, a três horas de distância das grandes capitais européias. Melhor lugar para se viajar não existe.

Zurique – Não é a capital da Suíça

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now