Natal na Suíça. Festa do Advento.


Tem gente que não gosta de Natal. Eu até entendo, respeito. Mas eu A D O R O !!!!

Desde pequena via minha casa se transformar para o Natal, enfeitada com enfeites simples que fazíamos na escola, e colocávamos espalhados pela casa toda. Dia de arrumar a árvore era quase que feriado. Amava. E nunca passávamos o Natal em casa, sempre na casa de uma das avós, família completa, primos de todos os lados.

Fim de ano íamos para a fazenda da Vovó Maria, onde passávamos a maior parte das nossas férias e um Natal sim, outro não. Vovó sempre nos esperava sentada na varanda e abria o maior sorriso do mundo quando chegávamos. Enfeitávamos a árvore juntos, todos os netos, tios e ela. Nossa árvore nunca foi a mais bonita do mundo, mas era a de mais interação. Mamãe hoje faz igual, com seus netos.

E eu, quando em São Paulo, também enfeitava minha árvore de Natal. Comprava enfeites em cada viagem que fazia e adorava minha árvore bem empetecada. Nunca passei em casa, sempre na casa de avós, e depois na dos meus pais, mas sempre tive decoração de Natal no mês de dezembro.

Aí mudei para Lausanne, onde sempre montei minha árvore e esperava ansiosa minha viagem para o Brasil.

Até que mudei para St-Prex, uma cidade de 6000 habitantes. Aqui aprendi o que é “Fenêtres de l’Avent”, ou a Janela do Advento.

No nosso bairro, nos limites da área urbana com a rural, os vizinhos se organizam anualmente para uma festa que dura 23 dias no mês de Dezembro.

Funciona assim: as casas que estiverem dispostas escolhem um dia do mês, de 1 a 23, e decoram uma das janelas com aquele número. As janelas permanecem fechadas, até o dia escolhido, quando então a decoração é revelada e iluminada. Naquela noite os donos da casa deixam a porta aberta e os vizinhos são bem vindos para um aperitivo, jantar, fondue, o que os anfitriões resolverem servir.

O bairro inteiro fica em festa. É uma delícia!

E eu, que mudei para cá em Outubro, resolvi que a Fenêtre seria minha integração.

Reservamos um dia para recebermos os vizinhos. Decoramos nossa janela. Estudei disciplinadamente todas as fenêtres disponíveis e marquei na agenda as que poderia ir. Como Meu Suíço viaja muito a trabalho no inverno, agendei com ele as mais importantes. Até me aventurei em umas sozinha.

Assim comecei a conhecer meus novos vizinhos.

Os Suíços são bem conhecidos por serem reservados e não levarem pessoas que não conhecem para dentro de suas casas. Eu, na contrapartida penso que a casa de alguém revela muito de sua personalidade. Oportunidade de ouro! Conheci casas, e com elas tentei desvendar meus vizinhos.

E foi uma delícia! Oportunidade de me apresentar, conhecer quem me rodeia e claro, festejar a espera do Natal.

O curioso da Fenêtre é que ninguém confirma presença. Então pode ser que na sua casa baixem dois gatos-pingados ou cinquenta. Loteria total.

Algumas casas ofereceram um apéro do lado de fora, o que em dezembro significa no frio. Outras já são tradicionais por aqui. Tem um casal que sempre oferece uma raclette deliciosa e outro casal, que sempre recebe no segundo sábado de dezembro, que organiza uma disco que vai até as três da manhã.

Me foi explicado que no nosso bairro a Fenêtre começou para integrar as crianças, que em Dezembro já começam a sair de férias. Mas aí elas cresceram e a tradição perpetuou. Hoje tem poucas crianças. A maioria é adulto querendo socializar.

Tem uma vizinha divertidíssima que não faz jantar no mês de dezembro inteiro. Ela e a família são convidados garantidos em todas as Fenêtres. E são super bem vindos.

Primeiro ano reservamos o número 13 – que fique claro que nada tem a ver com a Dilma – e arrumei uma mesa linda com queijos, pães e uma sopa de abóbora bem gostosa. Afinal, frio do cão.

No horário estipulado deu até um certo frio na barriga, porque você não sabe se a sua Fenêtre vai ser popular. E eu queria casa cheia, e me preparei para isso.

Foi uma delícia. Tive umas 25 pessoas, mas acho que meu lado de brasileira exagerada havia se preparado para umas 60. Congelei os queijos, que comemos quase que durante o ano inteiro.

Ano seguinte fizemos de novo, afinal amei conhecer meus vizinhos e abrir nossa casa e nosso coração para eles. Tivemos muitos mais visitantes. Durante uma das casas ouvi alguém dizer que nossa Fenêtre já é considerada como uma das mais gostosas daqui. Também, caprichamos!

2015 que nos aguarde!

Mais sobre Natal na Suíça e no Brasil?

Nosso Natal - Suíça no Brasil