Lavaux, os vinhedos tombados pela UNESCO

Em 2007 fui a uma festa comemorando o fato de Lavaux (pronuncia-se Lavô) ter sido aceito como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Foi lá que entendi e me apaixonei por Lavaux. Não sei contar quantos quilômetros já andei por lá.

Lavaux é o nome de uma área de mais ou menos 30 kms ao longo do Lago Genebra onde se produz vinhos a mais de 1000 anos, de verdade, sem exageros: o mais antigo registro de plantação de uvas nesta área é datado em 997. Acho incrível, o Brasil nem havia sido descoberto e já plantavam uvas em Lavaux.

Super bem mantida, com antigos muros e caminhos de pedras originais, Lavaux tem charme e cores únicas que mudam a cada estação. Passear entre as videiras, caminhar entre as uvas visitando as pequenas cidades de Lavaux é um espetáculo! Existe, durante parte do ano, um trenzinho que circula por lá. É bem turístico mas pode ser uma boa opção para pessoas com mobilidade reduzida e crianças.

Os amantes dos vinhos de Lavaux defendem que o que torna o vinho de lá único é o sol triplo: o sol direto, o sol que é refletido pelo Lago Genebra e o sol que também é refletido pelas pedras. Sei lá se é verdade mas o vinho de lá é bem gostoso mesmo.

80% do vinho plantado em Lavaux é vinho branco e 90% desta produção é da uva Chasselas, uma uva pequenininha bem adaptada e apreciada na Suíça. Três são suas apelações: Lavaux, Dézalay e Calamin.

Na época da classificação pela UNESCO, Lavaux abrangia 14 prefeituras, hoje são apenas 10 pois cinco se fundiram em 2011 para diminuir custos e processos administrativos.

Para ser aprovado como patrimônio da UNESCO, um local têm que atender a três critérios: respeitar as tradições culturais e locais, ser perfeitamente preservado e ter uma excelente inteiração com a população local e meio ambiente. Tradição e inteiração é fácil gerenciar, o que as vezes se reclama é que, por não poderem mudar mais nada em Lavaux, a tecnologia ficou engessada , o que encarece o vinho de lá.

São 250 famílias que produzem vinho em Lavaux em pequenas propriedades onde a tradição é passada de geração para geração. É normal ver três gerações trabalhando nos vinhedos. É quase artesanal.

Como são pequenos, os produtores de vinhos fazem parte de associações locais, que têm um papel importante na operação produtiva e na divulgação dos vinhos. Um programão é visitar um Caveau des Vignerons, pequenas adegas escondidas, compartilhadas para a promoção do vinho local.

Como tem terrenos em desnível, as colinas de Lavaux exigem maquinários adaptados e, em contrapartida, oferecem vista para o lago e para as montanhas de todos os lados.

A vista de Lavaux para os lagos é generosa. As cidades são charmosas. Os terraços, deliciosos. Os vinhos saborosos. Uma visita a Lavaux coloca sorriso no rosto de qualquer um. Recomendo!