Noite dos Museus, Lausanne, Suíça


Imagem: La nuit des musées

Existem diversas programações culturais na Suíça mas, especialmente na primavera e no verão a concentração de eventos é bastante alta.

Um dos eventos bacana daqui, que não somente acontece em Lausanne mas em 19 cidades, é a Noite do Museu, Nuit des musées em francês, quando os museus mais importantes das cidades abrem suas portas até tarde. Em Lausanne este evento anual ocorre no final de Setembro.

Funciona assim: Os visitantes maiores de 16 anos compram um bilhete único, vendido por 10 CHF, cerca de R$ 40, e têm acesso a 23 museus entre Lausanne e Pully, que ficam de portas abertas das 2 da tarde até as 2 da manhã. O valor do bilhete é o mesmo há 15 anos, ou seja, desde a primeira programação. Para se ter uma ideia comparativa, uma visita regular ao Museu Olímpico, que pode ser visitado na Noite dos Museus, custa CHF 18 e ele só fica aberto até as 6 da tarde.

Como incentivo cultural, menores de 16 anos não pagam nada e claro, fazem a festa por lá o dia inteiro!

A cada ano a festa de Lausanne tem tido mais adeptos. Em 2015 foram 15,000 visitantes, um número impressionante para uma cidade de 135,000 habitantes.

Imagem: Lausanne tourism

Por ter se imposto como evento cultural importante, e com crescente número de adesões, todo ano a Noite dos Museus apresenta uma novidade. Este ano o transporte público de Lausanne colocou quatro linhas de ônibus especiais para cobrir toda a área dos museus, basta ter o bilhete da Noite dos Museus e já pode usar ou seja, o transporte estava totalmente integrado ao evento. As pessoas simplesmente podiam deixar os carros para usar um transporte público de qualidade, seguro e pontual. Duro de acreditar que exista.

E não para ai... quatro estacionamentos deram preços reduzidos para os visitantes da Noite dos Museus. Mostrando o bilhete, podia-se deixar o carro por até 12 horas estacionado pelo preço que geralmente custa 2 horas. Nada mal...

Imagem:www.lanuitdesmusees.ch

As bicicletas de Lausanne também estavam disponíveis portanto, bastava querer ir para ter uma maneira de se transportar.

Isso é o que eu chamo de planejamento integrado.

E o que eu ainda me surpreendo por aqui, é que não existe o interesse escondido de se aproveitar de um evento deste. Os preços são convidativos, a infraestrutura está adaptada ao número de visitantes e a programação é interessante. Não tem como não tirar o chapéu.

E ainda tinham prêmios: em cada entrada de museu visitado encontravam-se selos autocolantes. Quando o visitante completava cinco selos, evidência de ter visitado cinco museus diferentes, tinha a opção de participar de um concurso pelas mídias sociais, onde os vencedores ganhavam a prolongação do bilhete para todos os museus até o final do ano. Ter a opção de visitar por três meses os museus da região com calma, sem pressa, e sem pagar nada não é uma má opção!

Este ano Lausanne também apresentou programas específicos para pessoas com necessidades especiais e para estrangeiros, onde era possível interagir e perceber obras usando sentidos diferentes da visão. Bem inclusivo!

E claro, além da programação dos museus, concertos, músicos e performances aconteceram para todos os lados da cidade. Um charme!

Imagem: Lausanne tourism

Show de competencia na organização, divulgação e execução!

E como tudo tem que terminar em festa por aqui, um dos colaboradores do evento, uma rádio local, convidou todos os participantes para uma festona sem fronteiras. Bastava que as pessoas se conectassem com a rádio para poderem dançar a mesma música, todos ao mesmo tempo, por todos os lados da cidade, inclusive nos museus. Nada mal poder dançar com seu artista preferido... pelo menos uma vez por ano, aqui pode!