Noite encantada no circo Knie, Suíça


foto: knie.ch

Meu Suíço apareceu em casa com dois ingressos para o Circo Knie, que aprendi significa joelho em alemão. Achei engraçado ir ao circo sem criança mas, como sempre amei circo, me arrumei, lí um pouco sobre o que iria ver, e fui feliz da vida.

O circo Knie é coisa séria aqui na Suíça. Fundado pela família Knie em 1803, quando funcionava em uma arena aberta, mudou para uma tenda fechada em 1919 (Há quase 100 anos!!!!!) e continua assim, desde então. É reconhecido como o Circo Nacional Suíço.

No ano 2001 e 2002 o Knie ganhou ainda mais notariedade com a Princesa Stéphanie de Mônaco em sua comitiva. Naquela época ela namorava Franco Knie.

Empreendedores de sucesso, a família Knie ainda é a responsável pelo circo. Já tiveram coproduções com o Cirque du Soleil e hoje tem parcerias importantes, com uma seguradora daqui. Empregam quase 200 funcionários, uma empresa considerável.

foto: knie.ch

A sede do circo fica perto de Zurique, na beira do lago. Lá é possível acompanhar o trabalho de adestramento de animais, comer no restaurante local, visitar o zoológico do grupo e assistir alguns espetáculos.

O ingresso custa caro e é concorrido, recomendável comprar com antecedência, pelo Ticketcorner. Todos os anos a programação muda e o espetáculo é totalmente diferente, daí os Suíços assistirem praticamente todos os anos. Encontrei uma conhecida da ginástica no intervalo. Estava com marido e uma filha de mais de 20 anos. Disseram que não perdem um único ano!

Este ano as apresentações começaram no final de Março e passarão por 39 cidades na Suíça alemã, francesa e italiana, até final de Novembro. Durante o inverno desenham e ensaiam o ano seguinte e assim vai. Vida de circo, nunca muito tempo em um único lugar!

Em Lausanne eles ficam em Ouchy, na beira do lago Genebra, com espetáculos marcados para 12 dias. Instalam a tenda, em estilo bem tradicional, e abrem um mini-zoológico, que pode ser visitado durante a permanência do circo na cidade.

foto: knie.ch

Um evento que ainda não assisti é o banho dos elefantes no lago. Sai até no jornal. Lembro de um ano quando um amigo que trabalha perto do lago postou sua surpresa no Facebook, dizendo ter saído do escritório para fumar um cigarro e deu de cara com elefantes fazendo a maior algazarra no lago. Na certa achou que estava chapado!

A noite começou com uma citação de Hemignway: “O circo é o único lugar do mundo onde se pode sonhar de olhos abertos”. Inspiradora!

Knie é tradicional pelo adestramento de cavalos e elefantes. A família, inclusive a caçula que deve ter uns 5 anos e que aparece adestrando um ponei, se apresenta de uma maneira bem resposável com os animais, avisando inclusive que as portas estão abertas para a sociedade protetora dos animais. Espertos em avisar, aqui na Suíça tem ONG que não acaba mais!

foto: knie.ch

E o espetáculo deste ano está bem alinhado com a diversidade Suíça: cheio de estrangeiros. Além dos membros suíços da família, o palhaço é americano, tem um casal acrobata russo, um equilibrista elástico chinês, acrobatas italianos, 13 membros do circo Russo de Moscou, um ventríloquo super divertido suíço-italiano, um grupo do circo ucraniano, um trio romeno e finalmente o tcheco malabalista, listado no Guinness como o mais rápido do planeta.

Me surpreendi com o número de interações com a plateia, e como esta reagiu positivamente, com muito bom humor e o maior charme do mundo. Esses suíços são realmente surpreendentes.

O modelo é tradicional. Barraquinhas com cara de antiga, decoração bem circense e uma banda que toca ao vivo sem parar. Diversão garantida!

Tomamos sorvete no intervalo e até adotamos uma criança que se sentou perto da gente. Circo combina com risada ingênua de criança. Programão.

foto: knie.ch

Infelizmente não pude fotografar o espetáculo então, cabe a cada um imaginar a noite mágica que tive.

Voltei feliz. Esperto esse Hemignway!

Outros blogs que podem também interessar:

Parque para crianças Parc Pré-Vert, Migros

Neve no verão

Criança na Suíça