As cores do Outono na Suíça


Sei que é batido exaltar o outono e que parece até cafona falar deste assunto mas não tem como não comentar. As cores do Outono na Europa são tudo de bom.

E passa muito rápido. Já vi em outros anos o outono desaparecer em menos de uma semana. A velocidade depende da temperatura e do vento.

Lembro quando trabalhava com soja e ouvia o pessoal falar “aloirou a lavoura”. Pois é, o outono é uma aloirada e uma “aruivada” de Suíça sem fim! Muito lindo.

Este ano o outono está particularmente maravilhoso. Tivemos um final de semana de sol e sem programar nada com antecedência, no domingo resolvemos ir para Champéry, uma cidade nas montanhas localizada a uma hora de St Prex.

A estrada começou a ficar linda de repente. Quando saímos da autoestrada e pegamos uma estradinha que só fazia subir as cores foram mudando... demos toda a sorte do mundo de ter saído tarde de casa porque a iluminação nas montanhas estava de cair o queixo.

Me sinto uma eterna turista. Fico de boca aberta que nem criança na janela do carro. Peço para parar só para sentir o cheiro de floresta. Todos os meus sentidos ficam a flor da pele. Domingo foi mais uma experiência sensorial. Meu Suíço até que tem paciencia....

Um programa simples, espontâneo, sem planejamento. Paramos no Centro de Turismo de Champéry e perguntamos onde poderíamos caminhar. Só isso. E para lá seguimos, em uma caminhada de uma hora e meia, passando por chalés floridos, ovelhas, vacas e rodeados de cores e montanhas.

Precisa de mais?

Não gastamos um centavo, só calorias. Impossível não se inspirar com um visual deste.

Depois entramos no carro e voltamos para casa. Felizes, óbvio!

Inspirada, cozinhei um magret de cannard com um molho delicioso de vinho do porto ao mel, acompanhado de batatas com alecrim. Prato preferido do Meu Suíço. Encontramos então um Bordeux de 1992, escondido na cave, e sem muita memórias de suas origens... não tínhamos ideia do que encontraríamos naquela garrafa. Bom, não vou elaborar muito para não causar invejas mas adianto que o magret e o Bordeux se conectaram de uma maneira espetacular. Programão!

Óbvio que recuperamos todas as calorias gastas afinal, depois de um dia lindo como o que passamos, ficar no zero a zero é bom demais!