Surpresa em Morges

Morges é uma cidade charmosa que fica na beira do Lago Genebra, entre Lausanne e Genebra. Trabalhei em Morges durante quase dois anos e hoje moro pertinho de lá, 5 quilômetros, o que faz com que a cidade seja meu destino óbvio pra caminhadas no final de semana.

Para ir de Saint Prex até Morges tenho várias rotas. Consigo chegar lá passando por florestas, lago, vinhedos e outras cidades. Combino a rota com o meu humor, uma delícia de caminhada que, por sua diversidade, não me cansa nunca.

E é em Morges que muitas vezes vou jantar. Apresenta menos opções que Lausanne mas aqui vale muito o ditado que quantidade não é qualidade. Em Morges encontro restaurantes que me agradam bastante mas sempre acabo voltando nos meus preferidos.

Tive uma surpresa gostosa antes de embarcar para o Brasil. Meu Suíço e eu combinamos de jantar fora, motivados não tanto pelo romantismo da despedida mas pela praticidade, uma vez que estava atrapalhada e correndo contra o relógio para organizar tudo antes de embarcar. Seria impossível fazer jantar.

No telefone Meu Suíço sugeriu La Maison d'Ígor. Eu não tinha a menor ideia do que me esperava. Entrei correndo na Internet para buscar o telefone e fazer a reserva e, na correria pré-viagem, nem me informei direito sobre onde estava indo.

Lá chegando nos surpreendemos em um casarão antigo, destes de pé direito alto e com cara de bastante tradicional. Bem Europeu. Diferente do que esperávamos, uma decoração despojada nos aguardava lá dentro. Bonito o contraste da arquitetura com a despretensiosa decoração. Gostei.

Um serviço gentil e jovem. Um cardápio curto e nada muito complicado. Menu de outono, época de aboboras, champignons e sopas. Gosto bem. Senti falta de mais opções de peixes mas logo entendi o por quê: o simpático maître que nos acolheu confessou não ser um grande fã. Bingo. Mesmo assim arrisquei em pedir uma arraia. E estava deliciosa!

O jantar foi bem gostoso, com preços razoáveis e serviço simpático. Gostamos.

Mas a surpresa mesmo foi saber que o tal do Ígor, foi Ígor Stravinsky, que viveu quase três anos na Suíça e que inspirado pelo lindo jardim, o lago não distante dali e as montanhas maravilhosas, compôs suas mais belas obras nesta casa.

A casa hoje é um hotel de 8 quartos, 6 localizados dentro da casa e 2 em chalés adjacentes.Este estabelecimento aberto há três anos não é categorizada como hotel tradicional com estrelas. Penso que está mais para B&B, Maison D’hôtes ou Maison do charme que Hotel propriamente dito.

Se eu fosse visitar Morges, certamente daria uma chance e ficaria lá. Gostei do pouco que eu vi. Aposto que este lugar ainda inspira e instiga. Stravinsky que o diga!