Suiça, no coração da Europa, no centro do mundo

A expressão “no coração da Europa” não poderia cair melhor para a Suíça. Este país pequenininho de 8 milhões de habitantes tem uma localização especial.

Não só a Suíça está localizada fisicamente no centro da “Europa Ocidental” como também tem fronteiras com cinco países diferentes, a França, Itália, Alemanha, Áustria e Liechtenstein. É ligada a estes países através de autoestradas irritantemente perfeitas e através de linhas de trem.

Para a França é também possível chegar de barco, visto que aproximadamente 1/3 das marges do Lago Genebra são Francesas. Da Suíça é também possível ir de barco para Alemanha, pelo Lago Constância e para a Itália, pelo lago Maggiore.

Tem três aeroportos de grande porte Genebra, Zurich e Basel e alguns outros pequenos.

A situação geográfica da Suíça também é interessante do ponto de vista cultural. Ela fica na divisa da Europa Latina e da Europa Anglo-saxônica, tanto na horizontal como na vertical, o que significa que está bem habituada com mudanças culturais.

Se posso, prefiro viajar de trem que de avião. De trem posso circular, usar computador o tempo todo, tenho mais espaço e chego no centro da cidade, sem o stress de ter que fazer outra viagem até o hotel! Saindo de Lausanne, a quinta maior cidade da Suíça, é possível chegar em Paris de TGV, trem bala, sem escalas em 3 horas e meia. O mesmo tempo para chegar em Milão, direto. Um conforto!

Quando perdi meu emprego em 2010, com medo de ficar entediada trancada em casa, resolvi viajar nos finais de semana. Recebi então uma promoção da EasyJet e em uma sentada comprei seis viagens: Berlin, Bordeaux, Amsterdam, Copenhagen, Marrakesh e Estocolmo. O maior percurso foi de 3 horas. Uma delícia. Vantagens de estar no coração da Europa.

De carro me esbaldo por aqui. Vou para Annecy em uma hora, passo o dia e volto. Já passei finais de semana maravilhosos na Borgonha. Para finais de semana mais longos, Itália, Provence, Munique...

Quando quero cozinhar coisas diferentes, vou ao supermercado na França. Trinta minutos de estrada para muita diversão. Ultima vez comprei Couteaux, um crustáceo que não conhecia, diferente e delicioso! (foto: http://totchie.canalblog.com)

Como este final de semana vou para Barcelona, sentada em Saint Prex, com meu telefone na mão, entrei no Google Maps para ver a localização de um endereço por lá. O Maps informou que o meu destino estava a menos de oito horas de distancia. Fiquei intrigada, achei perto demais... Meu Suíço dizia que estava certo, eu achei que estava errado. Comprovamos, é isso mesmo! Para os padrões Suíços dirigir oito horas de carro é uma eternidade. Para nós brasileiros, acostumados com distâncias enormes, não é impossível. Descobri: Barcelona também está a um pulinho daqui.