Dicas para sobreviver ao Inverno Suíço

A Suíça é conhecida por ter suas estações marcantes. E é assim mesmo. É como morar em quatro lugares diferentes. Tudo munda com as estações: as cores, os humores, os programas e as roupas. Impressionante a transformação.

O inverno aqui é frio, muito frio mesmo. Mas o frio é seco, diferente do frio de São Paulo, por exemplo. Os dias ficam mais curtos, brancos e gelados. O silencio do inverno é longo mas é encantador.

O inverno é certamente a estação mais desafiadora para os Brasileiros que moram fora afinal, é a mais diferente para nós.

As pessoas me perguntam como me habituei ao inverno. Não sei se me habituei ainda mas sei que aprendi, nestes dez invernos gelados, como sobreviver por aqui.

Manter a rotina – Mudar os hábitos por causa da estação é um erro enorme. Os dias ficam mais curtos, amanhece mais tarde mas, mesmo assim, o despertador tem que tocar na hora de sempre. Se deixar levar, acordar mais tarde, faz com que os dias encurtem ainda mais e vem uma vontade imensa de não fazer nada. Fuja dela!

Ventilar – Costumo dizer que a Suíça é muito quente no inverno pois todos os lugares fechados têm calefação. A calefação é maravilhosa mas deixa o ar viciado, faltando oxigênio. Eu abro as janelas, pelo menos um pouquinho, todos os dias. Descobri como abrir minhas janelas só um centímetro, é assim que elas ficam por aqui. Dá aquele friozinho gostoso, um ventinho gelado leve de ar que está trocando. Oxigenizar é tudo!

Hidratar – Logo que mudei notei que a minha pele ficou seca, muito seca. Principalmente as pernas, que passam o inverno inteiro cobertas, ou com meia calça ou com calças. Se pensar bem, elas ficam sufocadas por quase seis meses! Meu primeiro inverno me deu uma reação alérgica terrível. A pele ficou seca, áspera, um horror. O que me salvou foi cremes a base de ureia. Hidratam e cuidam. Aprendi!

Rugas – Eu logo notei que as Suíças são bem mais enrugadas que as brasileiras mas mal sabia que seria também afetada. Impressionante o estrago! O ar seco misturado com o vento frio e com o excesso de calefação são combinações perfeitas para as rugas se desenvolverem. O segredo é investir em cosméticos para manter o rosto hidratado. Cremes aqui deveriam ser inclusos na cesta básica. Ficar sem e inegociável, principalmente em volta dos olhos. Envelhece mesmo mas, este é um dos preços... nada é perfeito!

O sol está lá – Dias de neblina sem fim. No inverno, as vezes, a cidade acorda cinza e com neblinas para todos os lados. É assim mesmo e pode durar alguns dias. O dia aqui embaixo fica encoberto mas lá em cima, acima das nuvens, lá faz sol, sempre. Se cansou do cinza, o melhor caminho é a estrada em direção as montanhas.

Cachecol – Se o pescoço está quente, tudo fica quente também. E é um charme. Amarrar e enrolar de maneiras diferentes da a impressão de roupa nova. Uma delícia charmosa.

Se enfeitiçar – Não existe nada mais fascinante que ver a neve cair. É mágico! Um floco é diferente do outro, um encanto. Aproveitar a beleza do inverno, da neve caindo, das montanhas que ficam cor de rosa, não tem preço. Lareira então, não tem melhor!

Calorias – É fácil engordar no inverno. A gente se mexe menos e acaba comendo mais. Mas é no inverno que nosso corpo gasta mais calorias para se manter aquecido. Sair no frio faz o metabolismo acelerar. Bora lá fora!

Namorar – A gente fica mais chique, se veste melhor, se hidrata, se cuida mais no inverno. É uma época para se namorar, tomar um bom vinho, jantar caprichado, mesa bem posta e velas, muitas velas. Tudo muito calmo. Acender a lareira, abrir o vinho e ouvir uma boa música. Nada melhor que namorar no inverno!

Fugir – Se tem uma coisa que sempre faço é ir para o Natal no Brasil. É a hora de estar com meus pais e com a família. Mas é também a hora de fugir do inverno, dar um break. Adoro e recomendo. Chego sempre recarregada para o segundo tempo!