52 Lugares para visitar em 2016, pelo The New York Times

O The New York Time publicou no início do ano uma lista sugerindo 52 lugares para serem visitados em 2016.

Como era de se esperar, leitores manifestaram-se e questionaram o motivo pelo qual determinado lugar aparece no início da lista, ou não foi listado. Unanimidade é realmente difícil de alcançar.

Explicaram então que a lista foi finalizada em várias etapas. Inicialmente, pediram sugestões a vários colaboradores espalhados pelos quatro cantos do mundo. Como o assunto é apaixonante, receberam algumas centenas de sugestões.

Com critérios claros, como lançamentos, eventos, inaugurações e até mesmo calendário previsto eliminaram alguns candidatos bem manjados, mas que não apresentavam algo relevante para 2016.

Impressionante como a lista muda de um ano para outro. O Rio, eleito destino top em 2013 não aparece na lista. Aliás, na América do Sul somente dois destinos foram listados, nenhum no Brasil.

E no meio da lista, no número 25 aparece a região do Lago Genebra, bem aqui, onde eu moro e adoro!

O motivo da escolha é basicamente os lançamentos culturais previstos para 2016.

Na primavera será inaugurado o “Chaplin’s World”. Mais que um museu, será um parque temático com foco na vida e obra deste artista talentosíssimo que escolheu Vevey como sua cidade. O parque terá restaurantes, estúdio de filmes e salas de projeção.

Ainda em Vevey, em Junho, o museu Alimentarium da Nestlé que fica nas margens do lago Genebra, será reaberto após uma reforma de nove meses.

O museu Alimentarium antes da reforma já era bem interativo e atual. Interessante, contava de maneira divertida e educativa a história dos alimentos. Já era um programão para crianças de todas as idades agora então, deve arrasar!

Eu já estava até feliz com estes dois motivos mas, tem um terceiro: no outono será inaugurado o Museu das Águas, um enorme aquário localizado ao Norte de Lausanne.

Não precisava mas, ganhamos mais três grandes motivos para mostrar e tornar mais pessoas apaixonadas pela região do Lago Genebra. Porque não?