Mercado de Rua em Morges


O Mercado de Rua é tradição em muitas cidades europeias mas penso que aqui na Suíça, em função da elevada consciência de cidadania, ele tem uma participação ainda mais especial.

O Marché poderia ser comparado com a nossa feira mas ele vai além. Aqui frutas, legumes e flores são comercializados diretamente por seus produtores. E encontramos também presentes, antiguidades, roupas e diversos produtos locais. As vezes me surpreendo com coisas muito específicas, como uma banca que só vende chapéus, ou babadores. Fico imaginando quem compra este tipo de coisa na rua... e não é que eu encontro.

Em Morges, o mercado acontece todos os Sábados na rua principal, a Grand-Rue, uma rua de pedestres onde está concentrada a maioria dos estabelecimentos comerciais da cidade. No dia do Marché, a Grand-Rue é tomada por traillers e barraquinhas que vendem um pouco de tudo.

É um evento semanal obrigatório para alguns habitantes que preferem gastar um pouco mais que nos supermercados locais buscando a certeza de consumir produtos mais frescos, produzidos na grande maioria sem uso de químicos. A relação entre o consumidor e o produtor é de confiança, muitas vezes são clientes há anos, algumas vezes cruzando diferentes gerações. São tratados pelos nomes e não raramente conhecem até onde fica a propriedade produtora.

Uma vez ouvi de uma professora de francês que ela não se incomodava em pagar alguns francos a mais consumindo os produtos produzidos na Suíça. Na cabeça dela, era preferível pagar um pouquinho a mais para estimular o produtor suíço que pagar os impostos para financiar os programas de desemprego existentes no país. Tirei o chapéu. Que consciência de cidadania!

E o marché é também o lugar onde as pessoas se encontram. Temos um vizinho que vai tomar café em Morges todo sábado de manhã. Ele fica lá, sentando em algum café na rua de pedestres, só na social.

Os turistas também adoram. É algo muito festivo, colorido, pitoresco, uma boa oportunidade para entender a economia local.

Eu vou de vez em quando, só para observar. Raramente compro coisas por lá. Acho tudo muito mais caro.

Última vez que passei por lá encontrei uma senhora vendendo Alho dos Ursos, aquele alho selvagem que encontramos nas florestas durante a primavera. Aqueles que eu adoro colher nas montanhas. Achei engraçado, poderia também abrir uma barraquinha e comercializar minha colheita, afinal 4 CHF, algo em torno de R$ 12, o maço.

Minha cidadania ainda não atingiu a perfeição Suíça, continuo tentando aperfeiçoa-la.