Vinho embalado em papel


Mais que nunca o vinho é hoje uma bebida democrática.

Com o aumento constante do consumo, tem conquistado mais e mais consumidores afinal, vinhos podem agradar diferentes bolsos, gostos e públicos. Hoje não basta encontrar somente sabor, experiência e descobertas, dentro de uma garrafa de vinho. As pessoas querem mais e mais.

O crescimento do mercado, a tecnologia e a constante solicitação dos consumidores tem instigado a indústria vinícola a liberar sua criatividade.

Hoje recebi aqui na Suíça uma publicação discutindo sobre as vantagens do vinho embalado em papel, o vinho Bag-in-box. Segundo eles, é tempo de jogar o preconceito de lado e experimentar. Eis as razões:

- Mais e mais bons produtores oferecem este tipo de embalagem, ou seja, a qualidade do vinho embalado nesta modalidade tem subido substancialmente.

- O preço do vinho embalado no papel é mais barato que o mesmo vinho embalado em garrafas. Toma-se o mesmo vinho por menos.

- É sabido que os vinhos tintos e brancos estragam quando entram em contato com o oxigênio, resultando na alteração de suas características até se transformar em vinagre. Quando aberto, o vinho de caixa não entra em contato com o ar, mantendo suas características. Comparando um vinho aberto em garrafa e um aberto na caixa, o da caixa guardará por mais tempo suas propriedades.

- O vinho em caixa pode armazenar até o equivalente a quatro garrafas, o que gera menos lixo e é mais leve para transportar.

- O vinho embalado na caixa tem menor emissão de dióxido de carbono na sua produção, transporte e reciclagem, sendo portanto mais ecológico que o embalado em garrafas.

Na publicação eles ainda avisam que esta embalagem é especialmente conveniente para churrascos e picnics ao ar livre, hábito bastante suíço no verão.

Eu assumo meu preconceito. Ainda não me convenci.

Confesso que tenho ficado mais chata e exigente quanto a vinhos com o passar dos anos vivendo na Europa. Gosto de vinho e aprecio também o ritual de abrir e servir uma garrafa.

É evidente que a chegada das tampinhas de metal também geraram desconforto. O mesmo para as rolhas sintéticas. Hoje as duas vilãs de antigamente continuam a ganhar espaço nas casas tradicionais. Custo é custo!

Já me convenci que vou ter que colocar meu preconceito de lado e experimentar.

Agora, se esta moda pegar, vai ser engraçado ouvir aquelas frases evasivas vindas de um pretensioso entendido opinando após abrir a torneirinha da caixa Bag-in-box.