Ninguém acorda careca

“Ninguém acorda careca”. Essa frase é da Nina, e é tão verdadeira.

Os cabelos caem aos poucos.

A gente emagrece devagarzinho.

Envelhece um dia após o outro.

Termina um casamento um pouquinho a cada dia.

Acontece que quando se mora longe a gente acaba assistindo a vida por uma outra perspectiva.

O tempo que separa uma visita da outra se encarrega de envelhecer as pessoas, crescer as crianças. E a cada visita a gente sente as mudanças intensamente. Sente mais que ninguém.

Passei um mês no Brasil. Passou muito rápido.

Desta vez, como das últimas, estive com pouquíssimos amigos. Sei que alguns sentem minha distancia, eu também sinto. Alguns me cobram. Outros também se distanciam.

Tenho aproveitado todo o tempo e oportunidades que tenho para ficar com meus pais. Estar com eles, conversar com eles, ouvir a eles. Curti-los, como se não estivesse prevista outra separação. E foi o que fiz. E gostei de ter feito.

Apesar de tudo, continuo a sentir muito a falta dos meus amigos.