Colheita 2016. Que vinho suíço esperar?


Os vinhedos suíços estão nesta época do ano bastante ocupados em função da Vendange, palavra em francês para a colheita das uvas destinadas a produção de vinhos.

A data das vendanges nunca é precisa pois depende de incontáveis fatores. Agricultura definitivamente não é uma ciência exata.

A variedade plantada, exposição ao sol durante diferentes fases da plantação, a chuva, o teor de açúcar, a acidez das frutas e o tipo de vinho a produzir são algumas das variáveis a serem consideradas para definir o momento ideal de colher as uvas.

Para o cantão de Vaud, a safra de 2016 não foi muito fácil não. Tiveram infecções precoces de míldio em junho e depois, decorrente das abundantes chuvas em Julho, mais míldio. Não se tinha uma pressão tão grande assim desde 1996. Esta doença, quando instalada, ninguém segura. Se não tratada preventivamente, e em um determinado momento, seca os grãos das uvas. Sem fruto, não tem vinho.

Existe uma pressão muito grande dos consumidores para que não se coloque muito defensivo nas culturas suíças, daí algumas perdas consideráveis em algumas região.

Com um total de 15,000 hectares plantados de uvas, o vinicultor suíço teve que lidar também com um inseto que ataca somente as uvas escuras. Criativos, alguns produtores pulverizaram uma fumaça branca para maquiar as uvas dos tintos e afastar o inconveniente visitante.

Mas a notícia não é de toda má. O calor excepcional nos meses de junho e julho fez com que as uvas maturassem muito bem. Espera-se portanto um vinho muito bom, quase que excepcional, mas provavelmente em menor quantidade devido as perdas do míldio e da falta de chuvas durante a floração.

Andando pelos campos a gente percebe as atividades nas vinhas.

A dois quarteirões de casa, em pleno domingo, quando andava com Roger, percebi uma vendange.

Vendange é sempre uma festa nos vinhedos. Quanto menor a propriedade, mais festiva a colheita é. Amigos e parentes ajudam na colheita. Cada cacho é colhido manualmente e celebrado. A vendange não raramente é seguida de uma recepção, para agradecer a ajuda e produtividade da safra. Bonito não?

Independente da qualidade e quantidade do vinho produzido, a nova safra já começa com alto astral.