Rochers-de-Naye e o Papai Noel


Uma viagem deliciosa para se fazer de trem é partir de trem de Montreux em direção a Rochers-de-Naye.

O trenzinho com cara de trem de brinquedo é de cremalheira, importante para encarar a subida íngreme até os 2000 metros do alto da montanha.

A viagem de quase uma hora propicia uma vista única. O imponente lago Genebra fica lindo lá de cima, mostrando o Château de Chillon e todas as montanhas do lado francês. Passando por túneis e paradas quase que pitorescas, o trenzinho mostra chalés tipicamente suíços, vegetação de montanha e uma vista panorâmica de perder o fôlego.

Pelo caminho passamos por duas escolas tradicionais de hotelaria. Glion e a SHMS, esta última, parece um castelo encantado.

No caminho a altitude começa a ser denunciada pela presença da neve.

Chegando no topo da montanha, descemos do trem para explorar o lugar.

Por um túnel comprido e iluminado, somos conduzidos para uma gruta onde, durante o mês de dezembro, vive o papai noel. A criançada vai ao delírio.

Um parque com marmotas vindas de três continentes diferentes pode ser visitado, além de alguns iglus, que podem ser alugados para uma experiência única de dormir no topo da montanha.

Mas o que vale mesmo a pena é brincar com a neve que persiste e aproveitar da vista espetacular.

Demos sorte de estar lá no final de um dia de céu aberto de inverno. As cores do por do sol são indescritíveis. Não vou tentar explicar porque não vai dar para entender. Foi mágico. Só indo para entender.